Ultimos Posts

"Listen" Teorias e Pensamentos - Doctor Who

Escrito por Steven Moffat, Listen é o quarto episódio da oitava temporada de Doctor Who, a serie sci-fi mais famosa do Reino Unido. A primeira vez que vi o episódio me espantei pela qualidade, tivemos Peter Capaldi em uma das suas atuações mais brilhantes mostrando que ele pode sim fazer um ótimo Doutor, tivemos um vislumbre da antiga Clara companheira do Smith antes dos escritores deturparem a personagem e principalmente, tivemos um episódio considerado por muito a altura de Blink, um dos melhores episódios da serie.




 Tudo isso foi impressionante e confesso que acabei não me aprofundando muito na trama. Essa noite entretanto, filosofando pela madrugada, Listen me veio a mente e duas perguntas ficaram no ar: O monstro era real? O que ele era?
   
   Como todo fã de Doctor, gosto de criar minhas próprias teorias e logo encontrei-me vendo o episódio por um novo ângulo. Se Listen foi um episódio divertido de dia, de noite acabei descobrindo que ele podia ganhar certo tom de terror que não tinha imaginado antes. Com o Ouvinte, Moffat cria um monstro que consegue intrigar e assustar de varias formas principalmente por ser algo tão real que pode existir no nosso mundo e nos nunca tenhamos visto. Claro que já fomos apresentados a outras criaturas assim antes, como o Silencio em que você só sabe de sua existência quando olha para ele e logo depois esquece qualquer contato que tenha tido, mas ainda assim o Ouvinte conseguiu provocar um calafrio que nenhum Silencio tinha causado. 
   
   Vamos lá, quais as características do Ouvindo? Você não consegue vê-los o tempo todo, apenas de forma não intencional e por frações de segundo. São silenciosos, mas as fezes fazem barulhos ao nosso redor. Apesar de raramente fazerem isso, podem assumir uma forma corpórea que representa um período real e constantemente presente. O que se encaixa nessas características? Talvez demônios? Ou ate mesmo Deus? Se levarmos em conta que a primeira categoria esteja ocupada demais torturando alguma pobre alma no inferno e a segunda esteja.. bem, cuidando de outros problemas mais importantes, ainda temos uma terceira categoria para explorar: Fantasmas. 
  
   Sim, fantasmas. Assim como o Ouvinte do episódio, temos relances de fantasmas na nossa vida o tempo todo e nunca percebemos que estão lá. Um contorno no canto escuro do quarto a noite, a forma criada por um casaco ao balançar com o vento, os barulhos nos cômodos vazios da casa, aquele sopro gelado em nossa nuca. Claro que ao ascendermos as luzes encontramos explicação para tudo isso, ou quando não encontramos uma explicação lógica como a do casaco simplesmente ignoramos e jogamos a culpa no vento ou em coisas naturais, mas ei, nos sabemos o que vimos certo? Naquela fração de segundo, na quele pequeno instante em que a quele rosto estava lá olhando para você.
   

  Assim como os fantasmas, vamos lembrar aqui os eventos em que nosso Ouvinte parece estar envolvido. Primeiro, logo no começo do episódio temos o giz que muda de lugar e a palavra Listen que aparece escrita no quadro. Em seguida temos a materialização no quarto de Ruppert que possui massa real e se torna tangível. Depois temos as batidas na porta da nave de Orson e por fim a abertura da porta. Em todos esses casos o Ouvinte pode estar envolvido, sim, pode, mas também somos apresentados a explicações lógicas dadas pelo próprio episódio. O Doutor pode simplesmente ter escrito Listen no quadro e esquecido, reflexo do se medo quando criança como foi demonstrado na cena em que clara visita uma versão extremamente mais jovem dele. A materialização pode simplesmente ser uma brincadeira de algum dos garotos que implicava com Ruppert como o Doutor diz. Os barulhos na porta da nave segundo Orson não eram nada visto que no ponto do tempo em que estavam já não existia nada orgânico vivo na terra e a justificativa dada foi o sistema de resfriamento liberando gases na atmosfera. Quanto a abertura da porta, é impossível dizer que algo realmente estava abrindo pelo lado de fora ou a abertura não era simplesmente automática após ser destravada. Assim como os fantasmas do nosso dia a dia, são casos que parecem ter uma solução lógica e realista.

   Nos chegamos a uma conclusão sobre o que poderia ser o Ouvinte e do que o episódio se trata, mas não temos ate agora como comprovar sua existência. Eles poderiam estar ao nosso redor agora não é mesmo? Se movendo invisíveis causando aquele calafrio na espinha, o borrão no canto do olho, o contorno escuro na noite solitária, sensações inexplicadas de estar sendo observado e de medo. Para quem passou pelo fenômeno não adianta achar explicações lógicas pois a pessoa sabe o que viu, ou melhor, ela não sabe, mas provavelmente ainda esta sentindo o medo no peito. Da mesma forma em que podemos achar explicações lógicas para os eventos protagonizados pelo Ouvindo no episódio, e se a materialização no quarto de Orson não era uma brincadeira? O garoto teria que ser extremamente rápido e silencioso para entrar e se enfiar embaixo da coberta sem que ninguém visse. Talvez o Ouvinte tenha mesmo se materializado com o barulho que escutamos. Os barulhos na nave poderiam ser causados pelo resfriamento mas e se fosse o Ouvinte batendo fazendo sua presença do lado de fora se tornar conhecida? A porta poderia estar programada para ser aberta automaticamente após destrancada ou então ela realmente estava sendo aberta por forças exteriores.

   Agora vamos pensar em alguns pontos que possam comprovar nossa teoria. O giz estava preso entre as paginas do livro e a TARDIS estava parada. Como então o giz poderia ter se movido e ido parar no chão quando o Doutor estava do outro lado da sala falando em voz alta e aparentemente sozinho? Se esse ponto não é valido, temos o fim do episódio onde a TARDIS é atacada.  Esse ataque sozinho consegue sustentar a teoria inteira sobre o Ouvinte ser não somente algo real mas também sinistro e extremamente poderoso. Ele bateu nas portas da TARDIS com tanta força que de forma visível elas começaram a ceder e quando foi que isso aconteceu antes? Nunca. Sendo a nave mais poderosa e mais segura do universo, ela já enfrentou exércitos gigantes inteiros, incontáveis viagens e tentativas de invasão no vórtice de tempo, o choque contra asteroides em um cinturão e varias outras coisas mais perigosas e mesmo assim as portas nunca se abalaram e sempre se mantiveram firmes. Quantas batidas mais o Ouvinte precisava dar antes de entrar? Talvez duas ou três. Sem qualquer planejamento, sem qualquer arma engenhosamente criada, nossa criatura conseguiu facilmente superar defesas que em mais de 50 anos de serie tinham sido consideradas insuperáveis.


  Por mais que Doctor seja uma serie científica e tente explicar todas as coisas como tal (ainda que de forma irrealista), Moffat já deixou claro que algumas coisas simplesmente não tem explicação e os Ouvintes estão entre elas. A minha teoria? Na verdade são duas. A primeira é que o Ouvinte nem sempre foi tão forte. Moffat é um gênio e ele não mandaria o Doutor e a Clara para o fim dos tempos somente como justificativa para usar uma terra "vazia". Penso que o Ouvinte é sim um fantasma, mas não um fantasma qualquer, ele é a junção de todas as almas mortas na terra e ganha força gradualmente dessa forma. É um fenômeno da natureza incontrolável que ao chegar no fim dos dias acabou ganhando força suficiente para superar ate a TARDIS. Sabemos que é uma criatura inteligente, então porque ele queria entrar na cápsula do tempo e posteriormente dentro da nave do Doutor? Me diga então o que uma criatura que se alimenta e torna-se mais fortes com a morte faria em um mundo onde já não existe mais vida? Exato. Penso que o Ouvinte queria voltar no tempo para chegar novamente em um mundo onde pudesse continuar fazendo seu poder crescer ainda mais.

   Então, quem garante que não tenha uma criatura invisível com você nesse exato momento? O que é esse reflexo na tela do seu computador agora? Ele se move, talvez seja o Ouvinte sorrindo, mas pode se virar, não tem nada ai. Mas você sabe o que percebeu, embora ninguém mais acredite. O que foi esse barulho no outro cômodo? Parecia um passo estalando contra o solo não é? Mas espere, você não estava sozinho em casa? Você pode procurar explicações lógicas pra tudo isso agora, mas essa noite, quando se deitar, talvez você vai sentir essa presença novamente ali do outro lado da porta esperando, tente escutar... o que é esse borrão no canto do nosso olho? O que são os passos que nos seguem mas nunca nos ultrapassam? 

Escute... nos não estamos sozinhos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Destilaria de Ideias Desenvolvido por Templateism.com e AriltonSama Copyright © 2014

Tecnologia do Blogger.